Home > DOCES E SALGADOS > Petrobras inicia venda de ativos terrestres na Bacia de Sergipe-Alagoas

DOCES E SALGADOS

03/12/2019 07:37 por Redação

Petrobras inicia venda de ativos terrestres na Bacia de Sergipe-Alagoas

Estatal detém 50% de participação nos campos de Rabo Branco e Dó-Ré-Mi; a outra metade é da Petrogal Brasil (operadora)

A Petrobras iniciou a etapa de divulgação da oportunidade (teaser) para a venda de sua participação nos campos terrestres de Dó-Ré-Mi e Rabo Branco, pertencentes à Concessão BT-SEAL-13, localizados na Bacia de Sergipe-Alagoas.

A concessão BT-SEAL-13 foi adquirida na 7ª Rodada de Licitações da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), em 2005. Os dois campos têm participação de 50% da Petrogal Brasil (operadora) e 50% da Petrobras,

Rabo Branco: O campo produz óleo leve desde 2012, cuja média diária de produção de petróleo em 2018 atingiu 161 barris/dia. Está situado na porção emersa da Bacia de Sergipe-Alagoas, a cerca de 8,8 km a sudoeste de Aracaju, entre os municípios de Santo Amaro das Brotas e Nossa Senhora do Socorro (Sergipe).

Dó-Ré-Mi: O campo Mi possui dois poços descobridores de gás, ainda sem produção comercial. Situa-se na porção emersa da Bacia de Sergipe, a cerca de 20 km de Aracaju.

As ofertas deverão ser feitas por campo, separadamente.

Frade

Na última quinta-feira (28), a Petrobras assinou com a PetroRio Jaguar Petróleo Ltda, subsidiária da PetroRio S/A, um contrato para a venda de 30% da concessão de Frade, localizada na Bacia de Campos, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro, por US$ 100 milhões.

O valor da venda será pago em duas parcelas: (i) US$ 7,5 milhões na assinatura do contrato; e (ii) US$ 92,5 milhões no fechamento da transação, sujeito aos ajustes devidos. Além disso, há o montante de US$ 20 milhões contingente a uma potencial nova descoberta no campo.

A operação incluiu também a venda da totalidade da participação detida pela Petrobras Frade Inversiones S/A (PFISA), subsidiária da Petrobras, na empresa Frade BV, que detém a propriedade dos ativos offshore, utilizados no desenvolvimento da produção do campo de Frade.

Atualmente, a PetroRio, por meio de suas subsidiárias, detém 70% da concessão de Frade. Após a conclusão da venda, a PetroRio passará a deter, por meio de suas subsidiárias, 100% do consórcio e da Frade BV.

'
Enviando