Home > DOCES E SALGADOS > Guterres diz que única solução é a coexistência de dois Estados, israelense e palestino

DOCES E SALGADOS

06/02/2018 08:18 por Redação

Guterres diz que única solução é a coexistência de dois Estados, israelense e palestino

Em discurso em comitê pró-palestino em Nova York, chefe da ONU diz que gostaria que ambos os Estados tivessem Jerusalém como capital

A semana do secretário-geral da ONU, António, começou com uma reunião do Comitê sobre os Direitos Inalienáveis do Povo Palestino, na sede da organização em Nova York.

O diplomata e ex-primeiro-ministro português lembrou que a situação palestina é uma das questões que estão há mais tempo sem solução na agenda da ONU. Ele explicou que a comunidade internacional vem apoiando há décadas uma negociação que leve à uma solução de dois Estados, um israelense e outro palestino vivendo lado a lado e em paz. Para ele, esta é a "única maneira de criar as bases para a paz duradoura".

O chefe da ONU destacou que essa visão já foi apoiada diversas vezes no Conselho de Segurança e na Assembleia Geral.

António Guterres afirmou que "gostaria de ver um Estado palestino e um Estado israelense, ambos com Jerusalém como capital", mas destacou ser necessário "enfrentar a difícil realidade de hoje". Segundo ele, "tendências negativas têm o potencial de criar uma realidade irreversível de um Estado, incompatível com as aspirações legítimas, nacionais, históricas e democráticas de israelenses e palestinos".

Assentamentos - O secretário-geral mencionou a construção de assentamentos na Cisjordânia, o que é "ilegal pelas resoluções da ONU e pela lei internacional", além de ser "um grande obstáculo à paz e algo que deve parar".

Guterres lamentou que a violência continue alimentando um clima de medo e desconfiança. Ele mencionou uma pesquisa da equipe da ONU nos territórios palestinos prevendo que será impossível viver em Gaza em 2020, a não ser que haja melhoras na infraestrutura e nos serviços básicos.

Crise permanente - Cerca de "2 milhões de palestinos lutam diariamente com a crise de eletricidade, falta de serviços, desemprego crônico e uma economia paralisada", nas palavras de Guterres.

O corte de verbas para a Agência da ONU de Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa, também preocupa o secretário-geral. Ele faz um apelo à comunidade internacional por ajuda, já que a Unrwa fornece serviços essenciais a milhões de palestinos.

António Guterres reafirma seu compromisso em apoiar os envolvidos nos esforços para tornar a solução de dois Estados uma realidade, o que é, na visão dele, "a única maneira de garantir os direitos inalienáveis do povo palestino”.

'
Enviando