Home > DOCES E SALGADOS > Na terceira queda mensal seguida, IPCA variou 0,01% em junho

DOCES E SALGADOS

10/07/2019 11:23 por Redação

Na terceira queda mensal seguida, IPCA variou 0,01% em junho

É o menor resultado do ano; variação acumulada em 12 meses fica em 3,37%

 O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, utilizado como inflação oficial) registrou variação de 0,01% em junho, abaixo da taxa de maio (0,13%). Em junho do ano passado, o índice foi de 1,26%. Com o resultado, o acumulado do IPCA em 12 meses vai a 3,37%. No ano, o acumulado é de 2,23%

Os analistas do mercado financeiro ouvidos semanalmente pelo Boletim Focus, do Banco Central, apostavam num IPCA de -0,03% em junho. Para o ano, estimam um acumulado de 3,80%.

A meta do BC para a inflação deste ano é de 4,25%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

As variações mensais do IPCA em 2019:

• Janeiro: 0,32%
• Fevereiro: 0,43%
• Março: 0,75%
• Abril: 0,57%
• Maio: 0,13%
• Junho: 0,03%

Em junho/19, quatro dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram variação menor do que em maio, com destaque para Habitação e Transportes. No sentido inverso, merece destaque o avanço do grupo Alimentação, que ainda manteve-se em trajetória deflacionária.

IPCA JUNHO
Alimentação e Bebidas - Apesar das altas do tomate (de -15,08% em maio para 5,25% em junho) e das carnes (de 0,25% em maio para 0,47% em junho) o grupo teve queda (-0,25%) em junho, acumulando variação de 2,89% em 2019. Essa deflação deveu-se à intensificação na queda dos preços de frutas (-6,14%) e feijão-carioca (-14,80%).

Habitação - Desacelerou de maio (0,98%) para junho (0,07%), especialmente por conta do item energia elétrica (-1,11%) que exerceu pressão de -0,04 p.p. no IPCA. Isto se deve à vigência, em junho, da bandeira tarifária verde, sem cobrança adicional para o consumidor. Em maio vigorava a bandeira tarifária amarela, com custo adicional de R$ 0,01 por quilowatt-hora consumido.

Transportes - O grupo concentrou os impactos mais intensos sobre o IPCA de junho, em ambos os sentidos. No lado positivo está o item passagem aérea, com 18,90% de variação e 0,07 p.p. de impacto. Influenciando negativamente estão os combustíveis (-2,41%) com destaque para a gasolina (-2,04% e -0,09 p.p.).

Localidades

Dez áreas pesquisadas apresentaram variações abaixo das verificadas em maio, ficando os resultados entre 0,54% em Vitória e -0,41% em Porto Alegre.

A variação do IPCA em maio e junho nas 16 regiões investigadas, e o acumulado de 12 meses:

IPCA JUNHO
Calculado pelo IBGE desde 1980, o IPCA se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Aracaju, Brasília, Campo Grande, Goiânia, Rio Branco e São Luís.

'
Enviando