Home > DOCES E SALGADOS > OCDE vê crescimento mundial moderado, mas frágil, nos próximos dois anos

DOCES E SALGADOS

21/05/2019 11:51 por Redação

OCDE vê crescimento mundial moderado, mas frágil, nos próximos dois anos

Para organização, tensões comerciais e incertezas políticas são principais fatores que refream a economia do planeta

O crescimento global desacelerou acentuadamente no final de 2018 e agora está se estabilizando em um nível moderado. A escalada dos conflitos comerciais e vulnerabilidades financeiras perigosas propiciam um novo enfraquecimento da atividade ao minar o investimento e a confiança em todo o mundo,\ de acordo com as mais recentes Perspectivas Econômicas da  OCDE .

Espera-se que a economia global alcance um crescimento moderado, mas frágil, nos próximos dois anos. As vulnerabilidades resultam de tensões comerciais, alta incerteza política, riscos nos mercados financeiros e uma desaceleração na China, os quais poderiam refrear ainda mais um crescimento de médio prazo forte e sustentável em todo o mundo.

A OCDE projeta que a economia global crescerá 3,2% em 2019 e 3,4% em 2020. A perspectiva inclui revisões para baixo para muitas economias importantes. A entidade, que reúne os países mais ricos, adverte que as taxas de crescimento atuais são insuficientes para trazer grandes melhorias no nível de emprego ou de vida.

Pelas previsões da organização, o Brasil crescerá 1,4% este ano e 2,3% em 2020.

OCDE OUTLOOK
O documento da OCDE identifica as contínuas tensões comerciais como o principal fator que pesa na economia mundial. O comércio mundial - uma das principais artérias da economia global - deverá crescer pouco mais de 2% este ano, o que seria a menor taxa em uma década. O relatório ressalta que o atual ciclo de disputas comerciais está prejudicando a produção, interrompendo as cadeias de valor globais e gerando uma incerteza significativa que está pesando nas decisões de investimento, e destaca o risco de novas perturbações. 

A China continua sendo chave para o crescimento econômico global, de acordo com as Perspectivas Econômicas da OCDE. Um estímulo significativo da política fiscal protegeu a economia ao reequilibrar o investimento e o crescimento impulsionado pelas exportações para um patamar mais doméstico. Uma desaceleração mais acentuada do que a já observada na China representaria riscos importantes tanto para o crescimento global quanto para as perspectivas de comércio.

"A frágil economia global está sendo desestabilizada pelas tensões comerciais", disse o economista-chefe da OCDE, Laurence Boone, ao lançar o documento durante o Fórum Anual da OCDE em Paris. “O crescimento está se estabilizando, mas a economia está fraca e há riscos muito sérios no horizonte. Os governos precisam trabalhar juntos para garantir um retorno ao crescimento mais forte e sustentável”, disse Boone. 

O texto da OCDE pede aos governos que ajam agora para garantir um futuro econômico mais forte. Apela a um retorno à cooperação internacional e ao diálogo multilateral para restaurar a previsibilidade na política e relançar o comércio. Renova os apelos à combinação de reformas estruturais em todos os países da área do euro com investimento público adicional em países europeus com baixo endividamento. Isto deve centrar-se nas redes digitais, de transporte e energia, bem como nas reformas de educação, formação e concorrência necessárias na economia do século XXI, o que aumentaria a recuperação do crescimento, impulsionaria a produtividade e impulsionaria o crescimento dos salários a médio prazo.

Veja mais aqui (em inglês).

'
Enviando