Home > DOCES E SALGADOS > Suborno, fraude e quebra de confiança, as acusações que pesam contra Netanyahu

DOCES E SALGADOS

22/11/2019 07:55 por Redação

Suborno, fraude e quebra de confiança, as acusações que pesam contra Netanyahu

Primeiro-ministro israelense foi indiciado formalmente mas não tem obrigação legal de renunciar ao cargo que ocupa há dez anos

Não bastassem as indefinições políticas que podem levar os israelenses às urnas pela terceira vez em um ano, a crise no governo de Israel ganha novo contorno com o indiciamento, nesta quinta-feira (21), do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, acusado de corrupção.

A decisão do procurador-geral de Israel, Avichai Mandelblit, é inédita contra um premiê israelense no cargo, assinala a Reuters. As acusações incluem suborno, violação de confiança e fraude.

Netanyahu, de 70 anos, que não é legalmente obrigado a renunciar, já havia dito há alguns dias que não deixaria o cargo por conta do indiciamento, que classificou como uma “tentativa de golpe”. Ainda assim, a acusação pode dar mais força aos rivais do primeiro-ministro, que tentam removê-lo do cargo.

O primeiro-ministro conservador, que está no poder há dez anos, é suspeito de ter recebido irregularmente o equivalente a 264 mil dólares em “mimos” de magnatas, e de fazer favores em supostos acordos para obter mais cobertura do jornal israelense de maior circulação, o Yedioth Ahronoth, e do site Walla. Se condenado, Netanyahu poderá passar dez anos na prisão por suborno e cumprir uma pena máxima de três anos por violação de confiança e fraude.

“Esta é uma tentativa de golpe baseada em invenções e em um processo investigativo contaminado e enviesado”, disse Netanyahu em um pronunciamento na TV. “Continuarei comandando o país, de acordo com a letra de lei, com responsabilidade, devoção e preocupação com o futuro de todos”, acrescentou.

Seu principal rival nas duas eleições disputadas neste ano, Benny Gantz, de centro-esquerda, respondeu em um tuíte: “Não há qualquer golpe em Israel, apenas uma tentativa (por Netanyahu) de se manter no poder.”

Leia também: Benny Gantz também fracassa em formar novo governo em Israel.

'
Enviando