Home > ADVILLAGE > YouTube tira do ar vídeo em que guru bolsonarista diz que coronavírus não existe

ADVILLAGE

24/03/2020 07:34 por Advillage

YouTube tira do ar vídeo em que guru bolsonarista diz que coronavírus não existe

Para a plataforma, conteúdo publicado por Olavo de Carvalho fere as diretrizes da comunidade por desinformar e colocar as pessoas em risco

O YouTube tirou do ar um vídeo em que o guru bolsonarista Olavo de Carvalho colocava em dúvida a existência da pandemia do novo coronavírus no mundo. Até o momento, a doença já contaminou quase duas mil pessoas no Brasil e matou 34. No mundo, mais de 380 mil pessoas foram contaminadas, e mais de 16,7 mil morreram, segundo dados John Hopkins University.

No vídeo, compartilhado nas redes sociais na noite de domingo (22), Carvalho diz que a  pandemia do novo coronavírus não existe. O vídeo termina com o guru de extrema-direita dizendo que o coronavírus é a mais vasta manipulação de opinião pública que já aconteceu na história humana”.

A plataforma de vídeos, que pertence ao Google, avaliou que o conteúdo publicado fere as diretrizes da comunidade. “Desde o início deste surto, temos trabalhado para evitar desinformação associada à disseminação do vírus. (...) O YouTube continuará removendo rapidamente vídeos que violam nossas políticas quando eles são sinalizados, incluindo aqueles que desencorajam as pessoas a procurar tratamento médico ou alegam que substâncias nocivas têm benefícios para a saúde”, afirma a rede social em seu blog.

Nesta segunda-feira (23), o Twitter tirou do ar posts do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) e do ministro Ricardo Salles por motivos similares, relata o Painel da Folha. Na avaliação da plataforma, eles violaram as regras de uso da rede ao potencialmente colocar as pessoas em maior risco de transmitir o vírus.

Flávio e Salles compartilharam um vídeo antigo do médico Drauzio Varella, gravado em janeiro, no qual ele dizia que as pessoas deveriam levar as vidas normalmente e saírem de casa, levando seus seguidores a acreditarem que as instruções valiam para o atual momento da crise, quando o recomendado é que as pessoas não saiam de suas casas.

Siga-nos no Twitter

'
Enviando