Home > DOCES E SALGADOS > Após dois meses em queda, IGP-M acelera para 0,80% em junho

DOCES E SALGADOS

27/06/2019 10:17 por Redação

Após dois meses em queda, IGP-M acelera para 0,80% em junho

Alta deve-se sobretudo aos preços de matérias-primas brutas no atacado e aos custos com mão de obra na construção; índice em 12 meses fica em 6,51%

Após dois meses em queda, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado, calculado pela FGV) variou 0,80% em junho, acima da taxa de 0,45% verificada em maio. Em junho do ano passado o IGP-M variou 1,87%.

Os resultados mensais do IGP-M nos últimos seis meses:

• janeiro: 0,01%
• fevereiro: 0,88%
• março: 1,26%
• abril: 0,92%
• maio: 0,45%
• junho: 0,80%

Em 12 meses (que vale para calcular o reajuste do aluguel de imóveis), o acumulado é de 6,51%. No ano (primeiro semestre), é de 4,38%.

Longe - Os analistas ouvidos semanalmente para o Boletim Focus, do Banco Central, previam uma variação de 0,44% no IGP-M de junho. Para 2019, eles apostam numa taxa acumulada de 6,12%.

Dos três componentes do IGP-M, somente o IPC (preços ao consumidor) não registrou aceleração.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que representa 60% do índice geral, variou 1,16% em junho, contra 0,54% em maio.

Os Bens Finais baixaram de 0,01% para -0,70%. A principal contribuição para o resultado foi do subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 4,82% para -5,06%. Os Bens Intermediários recuaram de 0,95% para 0,38%. A influência mais importante desse declínio partiu do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa variou de 4,41% para -2,00%.

As Matérias-Primas Brutas, por sua vez, aceleraram fortemente, de 0,67%, em maio, para 4,24% em junho. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram soja em grão (-3,42% para 6,30%), minério de ferro (6,38% para 11,76%) e milho em grão (-7,80% para 4,27%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30% do indicador, caiu de 0,35% para 0,07%.

Cinco dos oito grupos registraram baixas em suas taxas de variação, com destaque para Transportes (com deflação).

Os destaques de cada grupo de despesa em queda:

• Transportes: 0,98% para -0,60%
- gasolina (3,10% para -1,85%)
• Alimentação: -0,12% para -0,55%
- hortaliças e legumes (-0,13% para -4,37%)
• Saúde e Cuidados Pessoais: 0,81% para 0,39%
- medicamentos em geral (2,11% para 0,38%)
• Habitação: 0,37% para 0,17%
- tarifa de eletricidade residencial (1,32% para -0,82%)
• Despesas Diversas: 0,50% para -0,34%
- bilhete lotérico (22,69% para -10,56%)

Destaque do grupo em alta:

• Educação, Leitura e Recreação: -0,06% para 0,95%
- passagem aérea (-10,28% para 21,15%)
• Comunicação: -0,12% para 0,06%
- pacotes de telefonia fixa e internet (-0,56% para 0,21%)
• Vestuário: 0,25% para 0,29%
- calçados (-0,08% para 0,48%)

O Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), representativo de 10% do IGP-M, subiu de 0,09%, em maio, para 0,044 em junho.

• Materiais, Equipamentos e Serviços: 0,18% para 0,11%
• Mão de Obra: 0,01% para 0,72%.

'
Enviando