Home > DOCES E SALGADOS > Macron descarta acordo UE-Mercosul se Brasil deixar Acordo de Paris

DOCES E SALGADOS

28/06/2019 07:36 por Redação

Macron descarta acordo UE-Mercosul se Brasil deixar Acordo de Paris

Advertência foi feita após declarações de Angela Merkel, que também externou preocupação com a "política ambiental' de Bolsonaro

A França não assinará o acordo entre o Mercosul e a União Europeia, que vem sendo negociado desde 1999, se o Brasil se retirar do Acordo Climático de Paris. A advertência é do presidente da França, Emmanuel Macron.

"Eu não quero negociar acordos com pessoas que não seguem o Acordo de Paris", disse Macron na noite desta quinta-feira (27) no Japão, a caminho da cúpula do G20, em Osaka. "Se o Brasil deixar o Acordo de Paris, não poderemos assinar acordos comerciais com eles. A razão é simples: nós estamos exigindo dos nossos fazendeiros que parem de usar pesticidas, de nossos negócios que reduzam as emissões. Isso tem um custo competitivo", acrescentou o chefe de governo francês.

Negociadores dos dois blocos estão tentando fechar um acordo e superar obstáculos importantes, incluindo a ambivalência do presidente Jair Bolsonaro a respeito do acordo assinado em 2015, que compromete os 195 países signatários a reduzir as emissões de gases de efeito estufa, causadores do aquecimento global.

A afirmação de Macron foi feita na esteira das declarações da chanceler alemã, Angela Merkel, que já está em Osaka para a cúpula do G20. Ela disse que queria ter uma "conversa direta" com Bolsonaro sobre o "dramático desmatamento” na floresta amazônica. Mas Merkel disse que a questão não atrasaria um acordo comercial. "Eu acho que não concluir o acordo não é a resposta para o que está acontecendo no Brasil", disse ela antes de viajar ao Japão.

Bolsonaro reagiu mal às declarações da chefe de govermo alemã, e proferiu frases de efeito como "não vim aqui para ser advertido" e "temos muito o que ensinar à Alemanha".

Leia: Sem pauta definida, Bolsonaro chega para o G20 e critica Alemanha.

Ativistas vêm exigindo que a UE interrompa as negociações comerciais com o Mercosul (formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) por alegados danos do governo brasileiro a suas florestas e a seus povos originários. Mas uma fonte próxima às negociações ouvida pela AFP disse que as negociações ainda estão "no ar".

Encontro informal

A Cúpula do G20 foi aberta oficialmente nesta sexta-feira (28), em Osaka. Segundo a Rádio França Internacional, já ocorreram diversos encontros paralelos entre os líderes das 20 maiores economias do mundo.

De acordo com o governo francês, Jair Bolsonaro teve uma reunião informal com Emmanuel Macron na manhã de hoje. Durante a conversa, que durou cerca de 15 minutos, Macron insistiu para que o Brasil não saia do Acordo de Paris. O mandatário brasileiro teria demonstrado interesse em permanecer no tratado.

Macron também aproveitou para abordar as questões de biodiversidade e os diversos conflitos ambientais na Amazônia. Em resposta, Bolsonaro disse estar "aberto ao debate".

O ministro das Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian, foi convidado a fazer uma visita ao Brasil em julho para implementar ações a favor do meio ambiente.

BRICS e Trump

Bolsonaro também participou de uma reunião do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), com as presenças de Vladimir Putin, Narendra Modi, Xi Jinping e Cyril Ramaphosa.

Nas redes sociais, Bolsonaro postou uma foto com o presidente dos EUA, Donald Trump. Os dois tiveram um rápido encontro. "Bolsonaro é um homem especial, muito amado pelo povo do Brasil”, teria dito Trump, segundo o site da revista Veja.

'
Enviando