Home > TOME NOTA > Procon-SP elabora lista de dicas e ações para evitar dores de cabeça na Black Friday

TOME NOTA

26/11/2014 11:01 por Redação

Procon-SP elabora lista de dicas e ações para evitar dores de cabeça na Black Friday

Órgão de defesa do consumidor também prepara esquema especial de atendimento para a próxima sexta-feira

Às vésperas da edição deste ano da Black Friday, na próxima sexta (28), o Procon-SP elaborou algumas ações e dicas para ajudar o consumidor fugir dos maus negócios. O órgão de defesa do consumidor montou um esquema especial para data: o atendimento às demandas será mantido ininterruptamente das 19h da quinta até a meia-noite da sexta no site, no Facebook, no Twitter e pelo telefone 151.

Foi criada a hashtag  #BlackFridaynamiradoProconSP para uso dos internautas. No Twitter, o usuário deverá usar a hashtag e enviar o print ou o link da página com o problema. O mesmo procedimento poderá ser feito no Facebook. O Procon garante que todos os casos serão analisados e, se necessário, será aberto processo administrativo.

Dicas

• Verifique os preços cobrados antes do “grande dia”. Isto pode ser feito em sites de buscas, além das páginas das empresas que participarão da Black Friday.
• Analise a descrição do produto e compare com outras marcas.
• Imprima ou salve todos os documentos que demonstrem a oferta e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios, etc).
• Leia a política de privacidade da loja virtual para saber quais compromissos ela assume quanto ao armazenamento e manipulação de seus dados.

Seus direitos - O fato de a compra ser feita em uma liquidação ou promoção não elimina os direitos do consumidor. Veja alguns:

• Se a empresa prometeu desconto em determinados produtos, a oferta deve ser cumprida conforme foi veiculada.
• A empresa deve manter canais de atendimento de fácil acesso para que o consumidor esclareça suas dúvidas.
• Nas compras feitas fora do estabelecimento comercial (por telefone, em domicílio, telemarketing, catálogos, internet, etc.), o consumidor tem prazo de sete dias para desistir da compra, contados a partir da aquisição do produto ou de seu recebimento.
• O Código de Defesa do Consumidor estabelece prazo de 30 dias para reclamações sobre problemas aparentes ou de fácil constatação, no caso de produtos não duráveis, e de 90 dias para bens duráveis, contados a partir da constatação do problema.
• Produtos importados adquiridos no Brasil, em estabelecimentos devidamente legalizados, seguem as mesmas regras dos nacionais.
• No ato da entrega, o documento de recebimento só deve ser assinado após examinar o estado da mercadoria. Havendo irregularidades, estas devem ser relacionadas, justificando assim o não recebimento e a empresa em questão deve ser contatada para que resolva o problema.

O Procon mantém um Guia de Comércio Eletrônico, aqui, e uma lista de sites não recomendados, aqui.

'
Enviando